Itabira completou, dia 9 de outubro, 171 anos de fundação. Município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país, localiza-se no Quadrilátero Ferrífero, a leste da capital do estado, distando desta cerca de 110 km. Ocupa uma área de 1.253,704 km², sendo que 12,4377 km² estão em perímetro urbano, e sua população foi estimada, pelo censo do IBGE de 2018, em 119.186 habitantes.

Além da relevância no setor de exploração mineral, Itabira também se destaca por ser terra natal de Carlos Drummond de Andrade, jornalista, contista, cronista e poeta modernista que se inspirou em sua cidade-natal para algumas de suas obras. Também há uma série de atrativos naturais. Dentre eles, a Mata do Limoeiro, a Pedra da Igreja, a Serra do Bicudo e a Serra dos Alves, além das cachoeiras dos Cristais, do Campo, da Boa Vista, do Limoeiro e do Meio.

Cidade de médio porte, segundo o último censo, Itabira possui mais de 35 mil domicílios particulares permanentes e tornou-se uma cidade-polo nas áreas de saúde e educação. Em 2009 possuía 63 estabelecimentos de saúde entre hospitais, prontos-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos, sendo que o sistema médico-hospitalar circula em torno de dois hospitais principais, o Hospital Carlos Chagas e o Hospital Nossa Senhora das Dores.

Na educação, o município de Itabira é dotado de grande número de estabelecimentos de ensino de ótima qualidade, seja na educação básica (educação infantil, ensino fundamental e ensino médio ou na educação superior (graduação curso técnico superior, curso superior e pós-graduação).

Sua história

A história de Itabira tem início no ano de 1720, com a chegada dos irmãos Farias de Albernaz em uma expedição saída da região de Itambé do Mato Dentro. Como encontraram ouro de aluvião na região, rapidamente se fixaram no local e lá construíram uma pequena capela.

Em torno dessa capela foram se desenvolvendo as primeiras casas dos exploradores de ouro, erguidas nas proximidades do Rio Tanque e do Córrego da Penha. Nessa fase inicial o povoado pouco se desenvolveu devido à pequena quantidade de ouro encontrada em seus cursos d’água.

Somente no final do século XVIII definiram-se os primeiros arruamentos: Santana, Rosário (parte da atual Avenida João Soares da Silva) e dos Padres (atual Rua Major Lage). Registrou-se, ainda, neste fim de século, a construção da Igreja do Rosário (1775), importante patrimônio histórico do município com tombamento nacional pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Neste período foram descobertas as lavras de ouro de Conceição, Itabira e Santana e a exigência de técnicas sofisticadas de exploração fez surgir companhias mineradoras que utilizavam a mão de obra escrava. Este segundo ciclo do ouro se estendeu até meados do século XIX.