Viajar faz muito bem, tanto para o físico quanto para o mental. Por inúmeras razões, ao botarmos o pé na estrada, deixamos para trás tudo que nos afligiu até aquele momento. Estresses, cansaço, excesso de trabalho, discussões que poderiam ser evitadas, tudo fica esquecido quando entramos no carro, no avião ou no meio de transporte que escolhermos.

Para começar, viajar melhora as habilidades sociais. Se você é daqueles que tem medo de aproximar-se de alguém pela primeira vez e fica ruborizado ao falar em público, viajar é um bom exercício para enfrentar estes medos. Resguardados os cuidados necessários quando se conhece alguém estranho numa viagem, fazer novos amigos, compartilhar suas experiências e conhecer as histórias dos outros permitem que suas habilidades psicossociais sejam estimuladas. Sozinho ou acompanhado, durante uma viagem é necessário comunicar-se com pessoas que você não conhece.

Viagens aumentam a criatividade. Quando as ideias criativas e diferentes desaparecem, pode significar que você está preso à sua rotina diária. A criatividade, segundo o especialista Andrés Ramírez, surge quando dois neurônios não se conhecem, se cruzam e geram novos vínculos. Por isso viajar pode ser uma terapia efetiva para que suas habilidades criativas se potencializem.
Nas viagens, as pessoas estão abertas a conhecerem e viverem coisas novas.
Sem dúvida, romper com o cotidiano pode ser a melhor solução para que as ideias surjam.

Colocar o pé na estrada pode melhorar a saúde cardíaca. O sedentarismo é o quarto fator de risco de morte por doenças cardiovasculares, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Muitas pessoas costumam ser sedentárias ou pouco ativas em sua rotina diária. No entanto, quem viaja com maior frequência tende a ser menos propenso a sofrer de enfermidades cardíacas porque durante as viagens costuma fazer mais exercícios, e mesmo sem se dar conta mantém o sangue em constante movimento. As caminhadas para conhecer museus, ruas, cidades inteiras ou espaços naturais como parques e reservas e nadar são atividades que melhoram o ritmo cardíaco.

Além disso, é possível enumerar diversos outros fatores benéficos proporcionados pelas viagens. Elas reduzem o estresse, aumentam a capacidade de inovação, contribuem para aumentar a capacidade de adaptar-se às mudanças, melhoram a recursividade, abrem a mente e melhoram as habilidades cognitivas.

E, o mais importante, viajar nos faz mais felizes. Durante uma viagem é possível sentir diferentes emoções, mas a mais comum é a sensação de felicidade. Um estudo realizado pela Universidade de Breda, na Holanda, descobriu que de 1500 pessoas, 974 demonstraram mais felicidade ao planejar uma viagem. Isso ocorre porque, a partir do momento que se toma a decisão e se planeja a saída, o sistema imunológico se dispõe a liberar endorfinas, que são as encarregadas de manter um estado de prazer e bem-estar. Durante a viagem, as pessoas costumam reforçar o sistema imunológico com as experiências reunidas e momentos que guardam, sejam sozinhos ou com familiares ou amigos. Assim sendo, um remédio efetivo para combater a tristeza ou o tédio é aquela viagem com a qual você tanto sonha.

Portanto, o que está faltando para você colocar o pé na estrada e ser feliz?

Fonte: mochileiros.com